sábado, 6 de setembro de 2008

Luzes amarelas

- A luz do teu telefone.
- Que tem ela?
- Tá piscando.
- Ela sempre tá piscando.
- Não, mas ela tá piscando amarelo. Ela normalmente não pisca verde?
- Hum... é. Deixa eu ver se alguém me ligou.
- ...
- Pronto.
- Tá, o que era?
- Tinha uma ligação não atendida, só isso.
- Ligação de quem?
- Não sei, não conheço o número.
- Deixa eu ver.
- Por quê?
- Pra ver se eu conheço.
- Queres ver se é um número desconhecido mesmo, né?
- ...
- Por que achas que é mulher me ligando a essa hora da noite, né?
- ...
- Tu não confia nem um pouco em mim?
- ... confio, mas é que...
- Se tu confiasse mesmo, não pedia pra ver meu celular.
- Mas...
- Nada de “mas”... você diz que confia em mim, mas na real, nunca confiou. Pensa que todo dia eu saio da tua casa e vou aprontar alguma por aí.
- ...
- Me diz, por que você continua comigo se não confia em mim?
- P....
- Não tens nenhuma auto-estima? Por que achas que deves ficar comigo se eu sou esse cachorro que você vive me pintando? Deves viver falando mal de mim pra todo mundo, me pintando como um monstro. Porque você não confia em mim. E isso não é amor, não existe amor sem confiança, ouviu?
- ...
- Ouviu?
- ...
- ...
- ...
- Desculpa.
- ...
- Desculpa, te amo.
- ...
- Eu sou um porco, eu sei, não devia ter falado isso.
- ...
- Você me desculpa? Me diz que me perdoa?
- ...uhum...
- Você me ama?
- ...uhum...

Ele a abraça, limpa as lágrimas que escorrem pela face rosada e lhe dá um beijo sôfrego nos lábios quentes. Ela o perdoa com uma dor no peito, enquanto no celular dele o nome “Amanda” pisca luzes amarelas delatando uma mensagem romântica proibida e enviada fora de hora.

4 comentários:

Medéia disse...

Hipócrita seria uma mulher que nunca tivesse olhado as ligações e mensagens do celular do namorado/noivo/marido... risos

Gostei do texto...

Félix B. Rosumek disse...

o meu comentário no texto do thiago cabe aqui. gostei do texto até o final, pois parecia interessante a situação: a mulher é a paranóica mas fica brabinha e o cara, que tá na dele, tem que pedir desculpa. o final "normalizou" a situação colocando o cara como o típico macho safado tentando levar a mulher no papo.

Rodrigo Oliveira disse...

eu já discordo do félix qto ao final. gostei bastante do desenvolvimento, mas não acho q precisaria o lance da Amanda no celular. Pela estrutura do texto, este conto tinha tudo pra ter um final aberto, deixando pro leitor completar. Na verdade, a presença da Amanda é irrelevante ao meu ver, tanto para o texto, como para o tema. é no corpo do conto q está a sua verdade, nao no final, ao q me parece. Mas no geral, curti.

Vivi Bastos disse...

Muito bom o texto, o diálogo está bem alinhavado e nos prende a leitura. E concordo com Rodrigo, o afã com que ele se coloca no papel de vítima da desconfiança da namorada levantar suspeitas...ele se entrega aí...

Gostei muito!