domingo, 6 de julho de 2008

Eu e elas

Um dia, eu acordei e fui comer minhas bolachas recheadas de sempre. Esqueci o pacote aberto e, batata, lá estavam elas. Aquelas malditas coisinhas marrons quase invisíveis aos meus olhos mas perfeitamente delineadas pelo meu nojo. Tudo bem. Joguei o pacote fora e pensei que o problema estivesse resolvido. Vã esperança. O Nescau estava cheio delas, o açúcar estava cheio delas e até o pacote de macarrão estava cheio delas. Alguém aí sabia que formiga comia macarrão? Pois é.

A partir daquele momento, eu tinha duas alternativas bem simples: ou eu jogava tudo fora ou eu comia as formigas – os japoneses vivem anos, afinal. Acabei lembrando que as formigas não comem só comidinhas gostosas. Esses dias vi uma barata morta cheia delas. Logo, se formiga come baratas mortas e eu fosse comer formigas... Não. Joguei tudo fora.

Dei uma arejada no ambiente, um antídoto contra formiguinhas indesejadas e mais um pouco de tempo. Dois dias e eu cheguei em casa com minhas novas gostosuras. Todas misturadas na prateleira, sonhei com as gostosuras durante a noite toda. Era absolutamente tudo o que eu queria e o que eu desejava naquele momento. Pena que elas, as formigas, tinham descoberto o oásis na minha cozinha. Aliás, não só na minha cozinha. No meu guarda-roupas, na minha gaveta de documentos, no piso de madeira da minha casa e, olhem, até mesmo nos lençóis da minha cama.

Depois de muito veneno para passar nelas e falar nelas, resolvi mudar de apartamento. Afinal de contas, as formigas não podiam acabar com meu bom humor, com meu café da manhã e com a minha vida. Mal sabia eu que na minha próxima casa eu ouviria barulhos estranhos a noite e perceberia uns buracos estranhos na parede.

8 comentários:

Thiago Floriano disse...

lembrei do Joe e as baratas...

Medéia disse...

Meio óbvio, mas bem real...
As formigas realmente incomodam quando escolhem sua casa.

Viviane Bastos disse...

Marina,

Concordo com o texto, Formigas fazem mal a higiene existencial, matinal, bucal....gostar de macarrão? Essa eu não sabia...rsr
Suas formigas são vorazes. Gostei de sua opção de trabalhar cotidiano. Como diz a propaganda, a rotina tem sua beleza. E o extraordinário gosta de travestir-se de ordinário. Gostei do texto também!!!

Abraços

fabioricardo disse...

o bom é que as formigas ampliam nosso senso de equilíbrio. precisamos ficar equilibrando tudo que é doce um em cima do outro, sobre uma bandeja com água, para formar um fosso que não possa ser ultrapassado. acabamos treinando, no final das contas ;)

Félix B. Rosumek disse...

fomrigas secretam substâncias que deixam seus corpos e ninhos bem limpos em relação a sujeiras e bactérias. somos muito mais "sujos" que elas! talvez por isso elas tenham preferido ficar com as guloseimas e não com a moradora... ;)

Cris Costa disse...

Marina, ficou muito legal a forma como abordou o tema no cotidiano. Creio que todas as pessoas no mundo já tiveram uma experiência desastrosa devido nossas inquilinas formigas.
Parabéns!


Bjs

Rodrigo Oliveira disse...

vc nao come formigas pq elas comem baratas... vc já viu de onde sai o ovo, né?

Domme Keka disse...

Muito bem escrito o relato, eu passo pelo mesmo problema rsrsrs