domingo, 16 de março de 2008

Poema

Marina Melz
16/03/2008

Mais do que um pesadelo, realidade.
Mais do que um medo, certeza.
Mais do que palpável, insuportável.

Segurar as lágrimas, impossível.
Segurar o peso, insuportável.
Segurar o grito, doloroso.

Nada é tão fúnebre quanto a dor.
Nada é tão inatingível quanto o peito.
Nada é tão silencioso quanto o gélido sabor da morte.

Pior do que matar é morrer por dentro.
Pior do que morrer por dentro é carregar o peso.
Pior do que carregar o peso é deixá-lo ir.

Sobre a vida, pouco.
Sobre a realidade, muito.
Sobre a morte, poema.

5 comentários:

Fábio Ricardo disse...

"a morte em mim", por marina melz! hahah

Marina Melz disse...

hahaha coisa de primeiro poema escrito na vida!

Thiago Floriano disse...

uma boa estréia, podemos dizer... ;)

Cassiane Schmidt disse...

Oi Mariana,

Primeiro poema??? começastes muito bem. Parabéns, continue escrevendo, não desperdice seu talento.

Abraço
(>¨<)

Cris Costa disse...

Marina, admiro sua facilidade em desenvolver belos versos. Continue sempre assim...Parabéns!!!
Bjs