terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Papo (maluco) de mesa de bar

No ambiente, inebriado pela fumaça, ouviam-se apenas vozes animadas e quase gritos. 

Na primeira mesa, já na entrada, ouvimos uma fervorosa discussão sobre sacerdotes manipuladores. Dois amigos visivelmente embriagados falam de catolicismo e de todas as lendas sobre a igreja. Eu e Thiago começamos a rir, já que temos em comum amigos que poderiam muito bem ocupar aquelas duas cadeiras.

Dois passos à frente, uma equipe de atletas uniformizados discutia pólo aquático. Falavam sobre a roupa incômoda, riam. Outro amigo, Rodrigo, comenta comigo que esses, sim, eram assexuados. 

“Homens são todos escravos. Acabam extinguindo as verdadeiras raízes da humanidade. Eles têm que mandar nos relacionamentos”. Recônditos, eu e Fábio comentamos que, no mínimo, esses caras eram os mais pau-mandados da história dos relacionamentos.

Chegamos a última mesa, a nossa. Félix se dirige a nós e indignado, pergunta: “Se vocês fizerem um anti-doping nos meus textos ou comentarem mais uma vez que sou eu quem bebe nesse mundo, todos esses temas vão ser publicados no Duelo”. Os quatro se entreolham. É claro que coisa boa não poderia sair.

5 comentários:

Félix B. Rosumek disse...

eu e o fábio discutimos ontem sobre a possibilidade de um texto destes aparecer. é uma solução relativamente fácil para o exercício, criar uma situação onde se pode juntar as palavras de modo mais ou menos aleatório. é a estratégia "estou sentado diante do computador...", em versão hi-tech (o meu texto deve soar um pouco assim, para os 99,9% da população que não conhecem lovecraft).

eu ainda acho um recurso válido e que sempre pode ser explorado de vários pontos de vista. claro que não é a expressão máxima da criatividade, mas às vezes a inspiração não vem. acredito que se a gente começar a tentar pensar mais antes do último dia de postagem, a coisa funcione melhor.

ps: eu tive que ir atrás de um dicionário para ver se "recônditos" podia ser usado como adjetivo. é bem estranho, mas é possível.

Rodrigo Oliveira disse...

Ou pouco tempo ou muita droga (ou café). E a fala do félix não é uma pergunta.
lesada!

Marina Melz disse...

falta de tempo. pior semana da história do duelo!

fabioricardo disse...

"olha mãe, eu apelei no Duelo".

E eu nunca faria aquele comentário que vc disse. Muito menos ficaria recôndito. Isso é coisa de assexuados como o Rodrigo.

Labes disse...

Despropositado. Não assusta que tenha sido a pior semana do duelo.