sábado, 4 de outubro de 2008

A mesma noite, outra vez

Ele a queria, mas era tímido. Ela tinha interesse, mas não era seu papel. Ele encheu a cara. Ela beijou um desconhecido.

4 comentários:

Thiago Floriano disse...

E o cara não se perdoa por isso depois... fica ainda mais tímido porque acha que não consegue tomar a iniciativa.

Rodrigo Oliveira disse...

curti. bem bom. bem verdadeiro. infelizmente.

Rodrigo Oliveira disse...

outra coisa q me liguei agora, q achei legal e pode ser posto à discussão, é como o Félix usou o título. Ele não só nomeia o texto e dá o tom pra narrativa mas, nesse caso, cria a narrativa. O título já começa a história antes mesmo dela começar. só pra não ficar só no 'curti' ehehehe

Félix B. Rosumek disse...

percebeu bem, rodrigo. na verdade, na primeira vez que escrevi, o título era a frase de fechamento. mas como 100 caracteres é realmente muito pouco, tive que limar e se tornou o título. como tu bem notou, o título é parte integrante da história.